Uma breve filosofia da música (e um desabafo)

Depois da poesia, se nosso propósito é lidar com o encanto e o movimento mental, eu colocaria aquela arte que se aproxima mais da arte do discurso e pode ser naturalmente unida a ele, a saber, a arte do tom. Sendo a melodia, por assim dizer, a linguagem universal das sensações inteligível a todo homem, a arte do tom a emprega por si mesma, singular em toda a sua força, isto é, como uma linguagem dos afetos, e assim comunica universalmente, de acordo com as leis da associação, as ideias estéticas naturalmente referentes a eles…