Sirva-se!

Publicado por Sergei Eisenstein na revista Proletarskoye Kino nº 17/18. Moscou, 1932 d.C. Traduzido por Teresa Ottoni. Stephen. (Olha para trás). Então aquele gesto, não música, não odores, seria uma linguagem universal, o talento de línguas tornando visível não o senso estabelecido, mas a primeira enteléquia, o ritmo estrutural. (James Joyce) [1] Discussões sobre “diversão” … Continue lendo Sirva-se!