Para criar mentes maduras, ou: Apologia do Ensino Superior

John Henry Newman – Notas sobre a educação e a vida intelectual, c. 1850 d.C. – Com frequência se tem observado que, quando os olhos da criança primeiro se abrem sobre o mundo, os raios refletidos da luz que os atingem da miríade de objetos circundantes não apresentam para ela nenhuma imagem, mas uma mescla de cores e sombras. Eles não se formam num todo; eles não surgem em primeiros planos e se misturam nas distâncias; eles não se dividem entre grupos; eles não se coalescem em unidades; não se combinam em pessoas; mas cada matiz e tom particular está por si mesmo, entalado em meio a milhares de outros sobre o vasto e achatado mosaico, sem nenhuma inteligência, e sem transmitir qualquer história, não mais do que o lado errado de uma rica tapeçaria. . . .