Nas trevas do coração: a horrenda vida e a morte horrorosa do horrível Mister Kurtz

Joseph Conrad, 1902 d.C. – As trevas de Kurtz eram impenetráveis. Olhei para ele como quem olha para um homem que se encontra no fundo de um precipício onde o sol nunca brilha. Mas eu não dispunha de muito tempo para ele, porque estava ajudando o maquinista a desmontar os cilindros avariados, a desentortar um eixo de conexão e outras coisas assim. Vivia numa bagunça infernal de ferrugem, limas, porcas, parafusos, chaves de boca, martelos, furadeiras. . . .