Desproporção do Homem – Entre os abismos do Infinito e do Nada

Blaise Pascal, 1670 d.C. – Eis aonde nos levam os conhecimentos naturais. Se eles não são verdadeiros, não há verdade no homem; e se são, ele encontra um grande motivo de humilhação, forçado a se rebaixar de um modo ou de outro. E, dado que ele não pode subsistir sem crer, eu gostaria que, antes de entrar nas mais vastas investigações sobre a natureza, ele a considerasse por um momento seriamente e detidamente, e que olhasse também para si mesmo, conhecendo as suas proporções. . . .