A essência do existencialismo

Jean-Paul Sartre, 1945 – Rádiodrama – Eu gostaria de defender o existencialismo contra certas recriminações que lhe costumam dirigir. Ele foi acusado, antes de mais nada, de convidar as pessoas a permanecerem num quietismo do desespero, porque, ante a impossibilidade de todas as soluções, seria preciso concluir que a ação neste mundo é totalmente impossível e nos entregarmos enfim a uma filosofia contemplativa, o que no fim das contas, dado que a contemplação é um luxo, nos leva a uma filosofia burguesa. São sobretudo estas as reprovações dos comunistas. . . .